Página Inicial - Home
Quem Somos
Dicas de Saúde
Fale Conosco
Produtos
Lançamentos
Apresentação Online
Cursos e Palestras
Login Senha

Efeitos quimiopreventivo e de proteção renal do ácido docohexaenóico (DHA): implicações da CRP e ácidos lipídicos
 
Efeitos quimiopreventivo e de proteção renal do ácido docosahexaenóico (DHA): implicações da CRP e ácidos lipídicos
ME El-Mesery1 , MM Al-Gayyar1 , HA Salem2 , MM Darweish1 and AM El-Mowafy1
1Departments of Biochemistry, Faculty of Pharmacy, Mansoura University, Mansoura 35516, Egypt
2Departments of Pharmacology, Faculty of Pharmacy, Mansoura University, Mansoura 35516, Egypt
Cell Division 2009, 4:6doi:10.1186/1747-1028-4-6
 
Published:
2 April 2009
Pano de Fundo
Os ácidos graxos ω-3, derivados do óleo de peixe, como o docosahexanóico (DHA),  atestam uma infinidade de benefícios à saúde. Nós correntemente avaliamos os efeitos antitumor do DHA, sozinho ou em combinação com cisplatina (CP) no modelo do camundongo EAC do tumor sólido, e monitoramos mudanças concomitantes nos níveis de soro da proteína C-reativa (CRP), peroxidação lipídica (medida como malondialdeído; MDA) e o número de leucócitos. Além disso, nós verificamos a capacidade do DHA de melhorar a nefrotoxidade letal, induzida por CP, em ratos e os mecanismos moleculares envolvidos aí.
Resultados
EAC-bearing mice apresentaram acentuada elevação de níveis de LC (2 vezes), CRP (11 vezes) e MDA (2,7 vezes). DHA (125, 250 mg/kg) obtiveram reduções significativas, e dependentes da dose, no tamanho do tumor (38%, 79% respectivamente), bem com nos níveis de LC, CRP e MDA. Estes efeitos para CP foram sensivelmente inferiores do que aqueles para DHA (250 mg/kg). Curiosamente, o DHA (125 mg/kg) melhorou consideravelmente os efeitos do CP e reforçou sua capacidade de reduzir os níveis de soro CRP e MDA. Estudos correlacionados (traduçao certa?) revelaram um alto grau de associação positiva entre o crescimento do tumor e o CRP (r = 0,85) e os leucócitos (r = 0,89), atestando, assim, um papel de diagnóstico/prognóstico ao CRP.
Por outro lado, uma única dose de CP (10 mg/kg) induziu nefrotoxicidade em ratos, evidenciado por proteinúria, deterioração da taxa de filtração (GFR, -4 vezes), um aumento nos níveis de soro creatinina/uréia (2 – 5 vezes) depois de 4 dias, e induziu globalmente mortes após 7 dias. Os homogenatos de rim dos ratos tratados com CP mostraram níveis de MDA e TNF- α significantemente elevados, mas de GSH, reduzidos. Ratos tratados com DHA (250 mg/kg, não 125 mg/kg) sobreviveram aos efeitos letais do CP, e mostraram uma recuperação significativa de GFR; enquanto seus homogenatos tiveram níveis de MDA e TNF-α marcadamente reduzidos, mas de GSH aumentados. Foi detectada uma associação significante entre o nível de creatinina e os de MDA (r = 0,81), TNF-α (r = 0,92) e GSH (r = 0,82); implicando em relações casuais.
Conclusão
DHA suscitou efeitos quimiopreventivos proeminentes por si mesmo, e aumentou sensivelmente os de CP também. A amplitude da progressão do tumor em vários grupos rato foi muito reflectida por níveis de CRP (implicando, assim, em um papel de diagnóstico/prognóstico para o CRP). Além disso, este estudo é o primeiro a revelar que o DHA pode obliterar a nefrotoxicidade letal e a lesão tecidual do rim induzidas por CP. Ao nível molecular, DHA parece atuar através da redução leucocitose, inflamação sistêmica e estresse oxidativo.
FONTE:

Texto livremente traduzido de:

http://www.celldiv.com/content/4/1/6/abstract/

O texto completo pode ser visto em:

http://www.celldiv.com/content/4/1/6

Voltar

hidea.com